Siga-nos

TV

“Ninguém pode censurar o que o outro está falando”: a aula de Casão a Caio Ribeiro

Em discussão, Casagrande mostrou sensibilidade e expôs problemas na fala do colega que não quer que jogador de futebol fale de política

Casagrande e Caio discutiram ao vivo no SporTV (Foto: Reprodução)

O programa ‘Bem, Amigos’, do SporTV, teve momentos tensos em seus primeiros minutos, quando os ex-jogadores Walter Casagrande e Caio Ribeiro discutiram e colocaram para todos as posições distintas que possuem.

Na última semana, Raí, ex-jogador e hoje dirigente do São Paulo, fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro após a sugestão do Planalto para a volta do futebol brasileiro em meio à pandemia. Caio Ribeiro emitiu a sua opinião sobre o assunto.

Para Caio, Raí deveria falar apenas sobre futebol e o clube que o emprega. “Eu não gostei do discurso do Raí. Ele falou muito pouco de esporte e muito sobre política. Por mais que ele diga que é a opinião pessoal, hoje ele é o homem forte do São Paulo. E as declarações e opiniões que ele dá respingam na instituição. Então, ele tem que falar de esporte”, declarou dias atrás ao ‘GloboEsporte.com’.

Precisamos entender que, sim, todos podem ter uma opinião, desde que essa não seja ofensiva a outros. Esse é o charme de uma democracia: o livre pensamento, por mais que a opinião seja burra ou tosca.

Casgrande, porém, fez questão de rebater. Como afirmou o ex-jogador, ninguém pode censurar a fala do outro e determinar qual o assunto que se pode falar. Em um momento tão delicado como vive o país, com uma crise sanitária, todos devem se expressar sobre os problemas que vivemos, ainda mais se, de alguma forma, for atingido. Raí tem que zelar por diversos funcionários no clube que trabalha, então sua falar é pertinente, sim, para o momento que vivemos.

Menos para Caio Ribeiro, claro.

E confrontado, o CEO do Partido Sapatenista do Brasil, recuou. Não em sua opinião, claro, pois ele a manteve durante a atração do SporTV. Acusou jornalistas, chamando-os de covardes, por ataques nas redes sociais. Também fez questão de ressaltar que a opinião não teve viés político, em uma clara demonstração de que sentiu o tamanho do problema em sua fala.

Caio Ribeiro criticou Raí por ter pedido a renúncia de Bolsonaro (Foto: Divulgação/Globo)

Caio ainda declarou que Raí precisa tomar cuidado com as opiniões que emite porque elas podem respingar na instiuição que trabalha. Convenhamos, um clube do tamanho do São Paulo não deveria, nunca, se abalar por um funcionário ter uma posição política forte. Sendo assim, o Corinthians, que Casagrande defendeu, ficaria eternamente abalado pela Democracia Corintiana, movimento dos jogadores nos anos 80.

Casagrande, que defendeu Raí em seu perfil no Instagram, rebateu. “Não falei mal de ninguém, não agredi ninguém. Falei de um comentário específico, não ataque a vida do Caio, a história dele”, afirmou.

Outros convidados do programa, apresentado no estúdio por Cléber Machado, Galvão Bueno e Maurício Noriega também se posicionaram contra a fala de Caio. Após alguns minutos de discussão, porém, o clima foi apaziguado para a atração seguir sem mais problemas.

O que se viu, no entanto, foi a beleza da democracia, com pessoas emitindo livremente suas opiniões. Por mais que, como no caso de Caio Ribeiro, elas sejam péssimas.

Veja o trecho completo do embate Casagrande × Caio no SporTV

Assine nossa newsletter

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas

Publicidade
Trending Now
Publicidade

Relacionados

Bolsonaro, o covid-19 e a caixa de empatia

Política

Policial e antifa, Wagner Vidal dirige grupo seguido por mais de 117 mil pessoas no Instagram

Política

Como Brasil vem de brasa, bandeira deveria ser vermelha

Política

Fora do ar na TV, o que Luís Ernesto Lacombe pode fazer para se recolocar no mercado?

TV

Publicidade
Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Connect
Assine nossa newsletter