Siga-nos

Saúde e Bem-Estar

Gosta mais de café ou de chá? Quem decide é sua genética

Pesquisadores japoneses associaram 13 hábitos alimentares, incluindo o tipo de bebida preferida, a genes específicos

Sabia que gostar de beber mais chá do que café está relacionado ao seu DNA?
Sabia que gostar de beber mais chá do que café está relacionado ao seu DNA? (Foto: Pixabay)

No café da manhã, você costuma beber café ou chá? A decisão vai além do gosto: estudo recente descobriu que a preferência por uma dessas bebidas está relacionada aos nossos genes.

Pesquisadores do Centro Riken de Ciências Médicas Integrativas e da Universidade de Osaka, ambas do Japão, estudaram os dados genéticos e as preferências alimentares de mais de 160 mil japoneses.

O estudo, publicado em janeiro na renomada revista científica Nature, encontrou fatores genéticos associados a 13 hábitos alimentares, como o consumo de bebidas, incluindo alcoólicas, além de estarem ligados a doenças como câncer e diabetes.

“Sabemos que o que comemos define o que somos, mas descobrimos que o que somos também define o que comemos”, comenta o pesquisador Yukinori Okada, um dos autores da pesquisa, citado pela emissora americana CNN.

Relação entre genes e alimentos

Normalmente os estudos genômicos são realizados para associar variações genéticas específicas a certas doenças.

Isso envolve a análise de milhares de pessoas, para verificar se possuem determinada doença e associá-la a marcadores de DNA chamados polimorfismos de nucleotídeo único. Com isso, é possível ajudar na prevenção do problema de saúde de origem genética.

Em vez de buscar vínculos com doenças, os cientistas japoneses examinaram hábitos alimentares para descobrir se havia algum marcador que colocasse as pessoas “em risco” por comerem sempre determinados alimentos.

Foram usados dados de mais de 160 mil japoneses que estavam disponíveis no projeto BioBank Japan, lançado em 2003 – nele estão contabilizados informações como DNA e estilo de vida dos participantes, incluindo hábitos alimentares.

(Foto: Pixabay)

Descobertas da pesquisa

O estudo recém-publicado descobriu nove genes associados ao consumo de café, chá, álcool, iogurte, queijo, natto (soja fermentada), tofu, peixe, legumes e carne.

Também foram observadas variantes responsáveis pela capacidade de gostar de sabores amargos. Essa associação foi encontrada entre pessoas que gostavam de comer tofu; enquanto aqueles sem a variante consumiam menos álcool ou nenhuma bebida alcoólica.

Aqueles que comiam mais peixe, natto, tofu e vegetais tiveram uma variante genética que os tornou mais sensíveis ao sabor umami (quando algo é “suculento”).

Os ingredientes que compunham os alimentos também importavam. Por exemplo, foram descobertas correlações genéticas positivas entre comer iogurte e queijo, devido a serem derivados do leite.

Os cientistas japoneses também decidiram verificar se algum desses marcadores genéticos associados à comida também estavam relacionados a doenças.

Seis dos marcadores genéticos vinculados aos hábitos alimentares dos voluntários japoneses também estavam relacionados a pelo menos uma doença, incluindo vários tipos de câncer e diabetes tipo 2.

Assine nossa newsletter

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas

Publicidade
Trending Now
Publicidade

Relacionados

Pesquisa que coloca Boulos em terceiro lugar na corrida pela prefeitura de São Paulo não tem registro no TRE

Política

Água corrente é a melhor forma de limpar frutas, verduras e legumes, de acordo com cientistas Água corrente é a melhor forma de limpar frutas, verduras e legumes, de acordo com cientistas

Lavar frutas, legumes e verduras com água e sabão elimina o coronavírus?

Saúde e Bem-Estar

O suco feito com as folhas do espinafre é rico em nutrientes, especialmente antioxidantes, e faz muito bem para nosso organismo O suco feito com as folhas do espinafre é rico em nutrientes, especialmente antioxidantes, e faz muito bem para nosso organismo

5 benefícios do suco de espinafre

Saúde e Bem-Estar

O novo coronavírus não pode ser transmitido por encomendas originárias da China, como acreditam algumas pessoas O novo coronavírus não pode ser transmitido por encomendas originárias da China, como acreditam algumas pessoas

20 mitos relacionados à Covid-19

Saúde e Bem-Estar

Publicidade
Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Connect
Assine nossa newsletter