Siga-nos

Política

Oposição apresenta projetos voltados para mais vulneráveis em resposta à Covid-19

Parlamentares e partidos formulam propostas para trabalhadores informais e beneficiários de programas sociais

Reunião entre integrantes dos partidos de oposição (Foto: Roberto Stuckert Filho)

Constantemente cobrada para que exerça o seu papel de oposição ao governo Jair Bolsonaro, partidos e parlamentares que se opõem ao atual presidente têm se destacado na apresentação de projetos que protejam os mais vulneráveis durante a crise causada pela Covid-19.

Coube inclusive a um deputado federal de oposição, Orlando Silva (PCdoB-SP), a responsabilidade de relatar o decreto do Governo Federal que institui o Estado de calamidade pública por causa do avanço do novo coronavírus no país:

O UltraPOP levantou algumas dessas iniciativas que visam apoiar trabalhadores informais, empregadas domésticas, beneficiários do Bolsa-Família, entre outros:

Enquanto o presidente chamava a pandemia de “histeria”, a presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), resumia algumas das propostas do seu partido:

O PSOL, por sua vez, colocou no ar um hotsite (veja aqui) com seis propostas emergenciais formuladas pela legenda em resposta ao coronavírus: proteção aos trabalhadores informais; revogação imediata do teto de gastos; retomada de benefícios sociais como INSS e Bolsa-Família; proibição do reajuste dos planos de saúde e fim da carência para covid-19; cuidado especial para os profissionais da área e; direcionamento prioritário de recursos do Orçamento para a saúde.

O PSB apresentou um conjunto de 25 propostas em reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, através do seu líder na Câmara, o deputado Alessandro Molon (RJ):

Oposição na Câmara

Parlamentares também têm apresentado iniciativas individuais. Foi o caso da deputada Natália Bonavides (PT-RN), que apresentou três propostas: um voltado para a estabilidade do emprego; outro complementando a renda de beneficiários do Bolsa-Família; e o terceiro concedendo um salário mínimo (BPC temporário) para pessoas em situação de vulnerabilidade econômica enquanto durar a situação de pandemia.

O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) propôs pagamento mensal de 1 salário mínimo a todos os trabalhadores pobres:

Atuação no Senado

As iniciativas chegaram também ao Senado. A bancada do PT na Câmara alta propôs, entre outras medidas, o pagamento de uma renda básica no valor de R$ 500 para quem estiver cadastrado no CadÚnico enquanto durar a crise causada pela Covid-19:

O líder do PDT no Senado, Weverton Rocha (MA), foi outro a apresentar propostas. Entre elas, o congelamento dos preços de materiais essenciais como máscaras e álcool em gel que, com a alta procura, ficam suscetíveis à alta variação de valor:

Renda Básica de Cidadania

E, por fim, a oposição viu integrantes e autores de diferentes correntes ideológicas defenderem a implementação da Renda Básica de Cidadania, proposta defendida há décadas pelo ‘papito’ Eduardo Suplicy, vereador do PT de São Paulo:

Assine nossa newsletter

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas

Publicidade
Trending Now
Publicidade

Relacionados

Bolsonaro, o covid-19 e a caixa de empatia

Política

PT defende novas eleições e impeachment de Bolsonaro

Política

Estamos na merda

Política

Quando voltarmos, não teremos mais Aldir Blanc. E o que mais?

Música

Publicidade
Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Connect
Assine nossa newsletter