Siga-nos

Imprensa

Hashtag, Ananda Apple e crítica bem-humorada: como nasceu o ‘Jornalismo Wando’

João Filho foi um dos convidados da nona edição do talk-show ‘Fala y Fala’, que foi ao ar nesta última quarta-feira. O cientista social e jornalista falou como surgiu a marca ‘Jornalismo Wando’, que o tornou conhecido em todo o Brasil

Quem acompanha com afinco as notícias sobre política nas redes sociais, principalmente no Twitter e no Facebook, já se deparou com o perfil ‘Jornalismo Wando’ na sua timeline. Mas afinal, quem está por trás da famosa conta?

João Filho, cientista social e jornalista, foi um dos convidados da nona edição do talk-show ‘Fala y Fala’, produzido pelo GRANDE PRÊMIO — site parceiro do Ultra POP —, ao lado dos também jornalistas Paulo Andrade e Rodrigo Vianna. Hoje contratado pelo site ‘The Intercept Brasil’, o paulistano da Zona Norte contou como nasceu o ‘Jornalismo Wando’ e como o foco do perfil mudou com o passar dos anos.

Assista abaixo ao comentário de João Filho no FALA Y FALA.

“Em 2011 estava com meu perfil pessoal no Twitter. JB Medeiros, Cynara Menezes, tirando sarro de jornalista carinhosinho, de colocar o entrevistado no colo”, explicou. A iniciativa da homenagem ao lendário cantor, morto em 2012, não teve nenhuma intervenção da família do artista.

“Era uma hashtag. Ananda Apple? Jornalismo Wando. E aí criei o perfil Jornalismo Wando. Em uma semana, estava bombando. Era um personagem, mas depois do golpe de 2016 virou eu, o João”, contou.

Hoje, o ‘Jornalismo Wando’ virou uma marca. Por um bom tempo, João Filho permaneceu no anonimato.

“Mas uma vez o Roger, do Ultraje a Rigor, invadiu o Facebook da minha ex-mulher, pegou fotos lá e publicou. Esse cara é tão mau caráter que pegou uma foto minha, do meu filho e da minha ex-mulher e escreveu: ‘Essa é a família do canalha do Jornalismo Wando’”, lembrou.

“Tinha uma rixa com ele. Mas nunca peguei pelo lado pessoal. Nem naquela história… [fazendo menção à performance do cantor na revista G Magazine]. Nem isso eu explorava. E o cara foi lá e falou da minha família no Twitter”, disparou.

João Filho citou nomes como Gerson Camarotti e Cristiana Lobo, da Globo News, como exemplos de jornalistas ‘isentões’ e que se enquadram no padrão ‘Jornalismo Wando’.

Assine nossa newsletter

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

GloboNews faz mea culpa após discutir racismo apenas com pessoas brancas

TV

Guerra de liminares e Ratinho comentarista: Paulo Andrade lembra Paulistão no SBT: “Era muito louco”

Esportes

Com ‘casamento perfeito’, CNN é via interessante para TV brasileira, analisa Rodrigo Vianna

Imprensa

Como cloroquina foi gota d’água para demissão de Rodrigo Vianna da Record

Imprensa

Publicidade
Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Connect
Assine nossa newsletter