Siga-nos

Imprensa

Hashtag, Ananda Apple e crítica bem-humorada: como nasceu o ‘Jornalismo Wando’

João Filho foi um dos convidados da nona edição do talk-show ‘Fala y Fala’, que foi ao ar nesta última quarta-feira. O cientista social e jornalista falou como surgiu a marca ‘Jornalismo Wando’, que o tornou conhecido em todo o Brasil

Quem acompanha com afinco as notícias sobre política nas redes sociais, principalmente no Twitter e no Facebook, já se deparou com o perfil ‘Jornalismo Wando’ na sua timeline. Mas afinal, quem está por trás da famosa conta?

João Filho, cientista social e jornalista, foi um dos convidados da nona edição do talk-show ‘Fala y Fala’, produzido pelo GRANDE PRÊMIO — site parceiro do Ultra POP —, ao lado dos também jornalistas Paulo Andrade e Rodrigo Vianna. Hoje contratado pelo site ‘The Intercept Brasil’, o paulistano da Zona Norte contou como nasceu o ‘Jornalismo Wando’ e como o foco do perfil mudou com o passar dos anos.

Assista abaixo ao comentário de João Filho no FALA Y FALA.

“Em 2011 estava com meu perfil pessoal no Twitter. JB Medeiros, Cynara Menezes, tirando sarro de jornalista carinhosinho, de colocar o entrevistado no colo”, explicou. A iniciativa da homenagem ao lendário cantor, morto em 2012, não teve nenhuma intervenção da família do artista.

“Era uma hashtag. Ananda Apple? Jornalismo Wando. E aí criei o perfil Jornalismo Wando. Em uma semana, estava bombando. Era um personagem, mas depois do golpe de 2016 virou eu, o João”, contou.

Hoje, o ‘Jornalismo Wando’ virou uma marca. Por um bom tempo, João Filho permaneceu no anonimato.

“Mas uma vez o Roger, do Ultraje a Rigor, invadiu o Facebook da minha ex-mulher, pegou fotos lá e publicou. Esse cara é tão mau caráter que pegou uma foto minha, do meu filho e da minha ex-mulher e escreveu: ‘Essa é a família do canalha do Jornalismo Wando’”, lembrou.

“Tinha uma rixa com ele. Mas nunca peguei pelo lado pessoal. Nem naquela história… [fazendo menção à performance do cantor na revista G Magazine]. Nem isso eu explorava. E o cara foi lá e falou da minha família no Twitter”, disparou.

João Filho citou nomes como Gerson Camarotti e Cristiana Lobo, da Globo News, como exemplos de jornalistas ‘isentões’ e que se enquadram no padrão ‘Jornalismo Wando’.

Assine nossa newsletter

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas

Publicidade
Trending Now
Publicidade

Relacionados

Transmissões de clubes escancaram importância do jornalismo esportivo

Esportes

Fenômenos da internet, Globo deveria olhar para Negão da BL e sua mãe para renovar Multishow

TV

Fora de Hora tem que continuar como podcast no fim da pandemia

Entretenimento

GloboNews faz mea culpa após discutir racismo apenas com pessoas brancas

TV

Publicidade
Assine nossa newsletter

Copyright © 2020 | Todos os direitos reservados.

Connect
Assine nossa newsletter